Blog
0
  •  x 
Não existem itens em seu carrinho!
Busca
Segunda, 23 Outubro 2017 21:20

Você sabia que sua enxaqueca pode ter origem nos alimentos? Destaque

Escrito por Juliana Lima

imagem blog enxaqueca e alimentos

A enxaqueca é caracterizada por crises repetidas de dores de cabeça (cefaléia) e pode vim acompanhada por enjôo, náuseas e vômitos, podendo durar de 4 á 72 horas A enxaqueca pode ser dividida em dois tipos: com aura e sem aura. A com aura o paciente observa alguns sinais um pouco antes da dor se iniciar, a segunda as pessoas não sentem qualquer tipo de distúrbio antes da dor se iniciar.

É considerada uma doença crônica causada por um desequilíbrio químico no cérebro que pode ser provocada por vários gatilhos: estilo de vida (stress, clima, luzes, odores, medicamentos e etc) e hábitos alimentares de má qualidade. . É considerada enxaqueca crônica quando se tem dores por mais de 15 dias/mês (pelo menos 8 dias de dor) por 3 meses consecutivos.

É importante tratar a causa da doença, não adianta sempre que tiver dor tomar um medicamento se a causa não for identificada. Na nutrição funcional ocorre a interação de todos os sistemas do corpo entre a bioquímica, fisiologia e os aspectos emocionais e cognitivos do organismo e identifica todos os sinais e sintomas relacionados aos deficit ou superávit de nutrientes, esses podem estar influenciando na doença.

A alimentação é um fator primordial para a melhora desse quadro. Alguns alimentos podem ajudar e atrapalhar. Os Alimentos que devem ser consumidos são:

• Fontes de magnésio ( o magnésio é um relaxante muscular): vegetais
verdes escuros, como espinafre, rúcula, aveia, nozes, grão de bico,
arroz integral, semente de girassol, espinafre, acelga, ervilha torta.
• Fontes de complexo B como: cereais integrais, batata doce,
leguminosas, banana, aveia, ovos, peixe, frango.
• Verduras, legumes e frutas no geral
• Água

Os alimentos que devem ser evitados são:
• Refrigerante, café, chá verde e bebidas a base de cafeína
• Leite
• Pães, massa e farinhas brancas (normalmente devido ao glúten)
• Doces e chocolates
• Produtos industrializados (bolachas, salgadinhos, enlatados, alimentos
em conserva, temperos prontos...)


É importante lembrar que é fundamental procurar um nutricionais funcional para avaliar individualmente cada caso e auxiliar nas melhores escolhas, nem sempre o que é bom para um vai ser para o outro.

Escrito por Juliana Lima, Nutricionista (CRN 3029-3), formada pela São Camilo há 7 anos. Pós-graduada em obesidade e emagrecimento na gama filho. Especialização em nutrição clínica funcional. Além de participar ativamente de congressos e cursos de extensão no Brasil na área clínica funcional. Tem experiência em doenças crônicas não transmissíveis, estética, doenças auto imunes/degenerativas, vegetarianos incluindo adultos, gestantes e crianças.

 

Ler 1764 vezes Última modificação em Terça, 29 Maio 2018 16:44